Prefeitura de Camapuã

Tel:(67)3286-6001
Rua Bonfim, 441 - Centro
administracao@camapua.ms.gov.br

Pequenos produtores interessados em plantar urucum devem procurar a Prefeitura de Camapuã

Foto: Girsel da Viola

Os pequenos produtores de Camapuã que estão interessados em plantar urucum em sua propriedade devem procurar a Secretaria de Agronegócio, Meio Ambiente e Empreendedorismo e fazer sua inscrição. A Secretaria está localizada no prédio da Prefeitura Municipal, no térreo, na Rua Bonfim n° 441.

As mudas já estão com 20 dias no viveiro e serão distribuídas aos interessados a partir do dia 15 de dezembro. 

As sementes foram trazidas da empresa Urucum Mudas, do estado de São Paulo, que está dando todo o amparo necessário em todas as etapas da formação da muda, germinação e plantio.

O prefeito Delano e a vice-prefeita Luzia Maidana acompanham de perto todo o preparo das mudas. “Queremos dar oportunidade aos pequenos produtores da nossa cidade, trazendo um novo tipo de agricultura, que devido ao seu potencial econômico é considerada o ouro vermelho” disse o prefeito.

Segundo o pesquisador Embrapa e autor do livro Urucum – Sistemas de Produção para o Brasil, Camilo Flamarion de Oliveira Franco, o mercado brasileiro envolve cerca de 1,5 milhões de pessoas na produção do urucum, sobretudo no fabrico do colorau, que é consumido por mais de 150 milhões de brasileiros e emm algumas regiões do Brasil, seu consumo supera 500 g per capita.

O urucum é utilizado na indústria farmacêutica, como detector do Câncer de Mama, na fabricação de remédios contra febres e gripes, queimaduras, tosses e asmas, cápsula para bronzeamento, clareamento dental e também é encontrado como antioxidante; na indústria têxtil, no tingimento de tecidos; na produção de cosméticos e na indústria alimentícias, na produção de margarinas, lingüiças, salsichas, manteigas, queijos, queijo do reino, sorvetes, doces, recheios, molhos, sopas, temperos, bombons, salames, recheios de biscoitos, produtos de panificação, hambúrgueres, massas, iogurtes, sobremesas em pó, cereais, queijo processado light, cereais em barra, sorvete light, entre outros.

O pesquisador ainda ressalta que a demanda por urucum é crescente não só no Brasil, como no mundo todo por conta da posição da Organização Mundial de Saúde (OMS) que impede ou limita o uso dos corantes sintéticos principalmente nos alimentos, por serem cancerígenos. 


Fonte: Aline Bazano DRT 906/MS

Imagens Anexadas

Nenhuma imagem encontrada.

Arquivo Anexado

Nenhum arquivo anexado.