Escolas da Rede Municipal de Ensino se destacam com os resultados alcançados no IDEB

5baa4acfbb884.jpg

Publicado: 25/09/2018 as 10:40:00

As Escolas Ernesto Sólon Borges e Dr. Sudalydio Rodrigues Machado conseguiram ultrapassar a meta projetada para os anos iniciais de ensino e se destacam no cenário educacional de Camapuã com as notas alcançadas no IDEB (Índice Nacional da Educação Básica).

 

A escola Ernesto Sólon Borges alcançou nota de 5.2. Comparando com a última nota do exame realizado em 2015, que foi de 4.5, a escola deu um salto na qualidade do ensino. Aumentando a nota em 0,8 pontos.

Já a escola Dr. Sudalydio Rodrigues tingindo a média de 4.8. Aumentando em 0,4 pontos a nota obtida em 2015 que foi 4.4 pontos.

 

A Secretária de Educação Andréia Santos parabenizou a equipe pelas notas obtidas. “Parabenizo os profissionais das unidades escolares pelos resultados alcançados. Isso é mérito do empenho, compromisso e responsabilidade de todos, com a qualidade e com os resultados da educação rede municipal de ensino”.

 

Outra escola bem avaliada foi a Lucas Alves do Valle que mesmo não tendo meta projetada, atingiu a média de 5.4 pontos.

 

“Os incentivos e os investimentos aplicados na área educacional foram fundamentais para que as notas dessem um salto. Isso mostra o nosso comprometimento com a educação do nosso município”, afirmou o Prefeito Delano Huber.

 

A Administração Municipal está investindo neste ano de 2018, cerca de 32% da arrecadação, na área educacional. Porcentagem acima do mínimo exigido por lei que é de 25%.

 

Dentre os investimentos realizados, podemos destacar a política de valorização dos professores com o compromisso dos aumentos anuais; oferecimento de formação continuada para os professores da Rede Municipal; oferecimento de reforço escolar nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, nas escolas do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental; Material Escolar de primeira qualidade; Merenda Escolar com acompanhamento nutricional, entre outros.

 

O IDEB é um indicador geral da educação nas redes privada e pública. Para chegar ao índice, o MEC calcula a relação entre rendimento escolar (taxas de aprovação, reprovação e abandono) e desempenho, outras estatísticas, da Prova Brasil aplicada para crianças do 5º e 9º ano do fundamental e do 3º ano do ensino médio.